IDH promove encontro para discussão sobre pactos regionais do Mato Grosso e do Pará

24 Sep 2017 O evento deu continuidade ao processo de desenvolvimento de pactos regionais

Nos últimos dias 14 e 15 de setembro, representantes da Iniciativa para o Comércio Sustentável – IDH se reuniram, em Cuiabá/MT, com seus principais parceiros para dar continuidade ao processo de desenvolvimento de pactos regionais para uma produção mais sustentável.

Atualmente, os esforços para construção dos pactos vêm sendo trabalhados nos municípios de Querência, Juruena, Cotriguaçu e Paragominas, e visam trazer entregas para as metes da Estratégia Produzir, Conservar e Incluir (PCI) do Mato Grosso e do Programa Municípios Verdes (PMV) do Pará, respectivamente.

Os pactos serão acordos construídos entre os setores público, privado (empresas e produtores) e sociedade civil, sendo apoiados pela IDH em sua estratégia e concepção. O objetivo é ter metas acordadas entre os setores e que sejam monitoradas anualmente para um uso mais sustentável da região, com aumento da produtividade, assegurando o meio de vida das comunidades e mantendo a proteção dos recursos naturais.

Para Daan Wensing, Diretor do Programa Global de Territórios da IDH, os pactos regionais têm a oportunidade de mudar a história do Mato Grosso e Pará e as percepções do mercado exterior, tornando-se mais uma ponte de ligação com a Europa. “Com a nova abordagem territorial, será possível trazer novos investimentos em produção sustentável, reconhecendo o trabalho conjunto de todos os atores envolvidos”, explica.

Cecília Simões, do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM), conta que a IDH tem sido uma ótima parceira, uma vez que investe e apoia no desenvolvimento da região de Querência. “Vamos intensificar o diálogo com o território e entender ainda mais as necessidades locais para uma melhor atuação”, afirma.

Para Mathias Almeida, da empresa NatCap, a atuação da IDH é fundamental para acelerar o processo de implantação da Estratégia PCI. “É importante trabalhar a região de Juruena e Cotriguaçu, já que é um local carente de assistência técnica e de informação. Serão criados mecanismos que irão fazer com que consigamos trazer recursos para gerar benefícios produtivos e, consequentemente, uma futura conservação”, comenta.

Beto Veríssimo, do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), destaca que a parceria entre IDH e Paragominas traz um elemento novo: a criação de um ambiente de negócios sustentáveis na escala do município. “A IDH tem a capacidade de ser a ponte entre o que acontece no campo com potenciais investidores e compradores. Habilidades, conhecimento e estratégia e visão de longo prazo são elementos que estão sendo colocados na construção”, diz.

Mais de 25 representantes de organizações, empresas privadas, governo e secretarias dos estados e produtores, estiveram em discussão, durante dois dias de trabalho, sobre as percepções, os benefícios e as contribuições locais dos pactos, os andamentos do processo e as expectativas e os próximos passos de execução dos programas.

“A construção dos pactos tem sido feita com muito relacionamento e confiança. A IDH está diretamente envolvida no dia a dia dos projetos e espera auxiliar – com os demais atores – para proporcionar novas conexões e oportunidades para a cadeia produtiva brasileira”, afirma Daniela Mariuzzo, Líder do Programa de Territórios da IDH no Brasil.

More news

More news

Sorry

Your browser is too old to optimally experience this website. Upgrade your browser to improve your experience.