Visões em comum norteiam as parcerias de sucesso

Ano de muitas expectativas, 2019 não poderia começar de forma melhor: nossos parceiros firmes e fortes na busca de soluções e entrega de resultados. 

Afinal de contas, para que servem os parceiros? E o que podemos chamar de parceria de sucesso? Com mais de uma década de experiência em construir parcerias a IDH, em constante aprendizado, entende que existem elementos básicos para parcerias  serem duradouras e efetivas na entrega de resultados.

Podemos falar de alguns elementos essenciais, por exemplo, a visão em comum sobre temas chave: parceiros somente conseguem conviver bem e em sua plenitude se compartilham a mesma visão em temas que são cruciais para a parceria. É claro que os parceiros não tem que ter mentes idênticas, iguais em tudo, mas a visão compartilhada sobre o que vai ser construído dentro de uma parceria é fundamental para que cheguemos lá. 

Os valores em comum também são uma condição interessante para o sucesso, pois valores vão determinar como a visão será entregue. A questão ética aqui fala sempre mais alto, pois apesar de parecer senso comum o que é ética,  há diferentes interpretações em diferentes situações. E aí vemos que as parceiras também servem para conhecermos os valores éticos de nossos parceiros, principalmente em momentos decisivos e importantes. 

E finalmente, a confiança que se estabelece entre as partes é fundamental para atingir resultados.  Não adianta você ter visão e objetivos em comum, se você não consegue estabelecer a confiança do seu parceiro e vice-versa. Quando um ambiente de confiança se estabelece, podemos ir até o Sol e voltar juntos, pois o céu é o limite!

Diante do imenso desafio que o Brasil enfrenta em aumentar a produção de alimentos e ao mesmo tempo fazer o melhor uso possível de seus recursos naturais, nada mais natural que alianças e parcerias se estabeleçam. Cada uma dentro de suas visões e valores em comum, em busca de soluções nunca criadas antes, e em um momento em que os recursos (que não existiam há 10 ou 15 anos atrás) estão disponíveis NAS mais diferentes formas possíveis. 

Começamos 2019 com força total nos parceiros,  parcerias e alianças que vão nos apoiar na visão de longo prazo do planejamento de uso sustentável dos territórios.

A PCI, mãe de todas as alianças, sendo reconhecida como fundamental para o desenvolvimento econômico do estado do Mato Grosso e se tornando um modelo possível a ser buscado em outras regiões do Brasil e do mundo, nos mostra que as parcerias valem muito a pena. 

O pacto do Vale do Juruena, com suas metas  produzir, conservar e incluir locais sendo revalidadas e influenciando outros municípios ao seu redor, nada mais empolgante que isso!

Empresas comprometidas com a originação responsável trazendo seus investimentos para os territórios, mostram que uma grande engrenagem começa a se mover, será que todos já se deram conta disso? Com certeza os produtores de Ribeirão Cascalheira, Gaúcha do Norte e Paranatinga sim, pois quase 300 deles já conhecem o programa de produção sustentável de bezerros.

Sorriso (ainda um tanto tímida) com entregas claras em relação a inclusão de pequenos produtores e a produção sustentável, como o etanol de milho, que por si só move as agendas de florestas plantadas e terminação de bovinos. 

Em Barra do Garças, uma visão em comum de todos os parceiros na busca pelo desenvolvimento sustentável de longo prazo do município, uma agenda a ser consolidada nos próximos meses.

Paragominas inaugura a fase pós municípios verdes com uma agenda forte de gestão territorial e  engajamento dos setores público e privado. 

Cientes de que não se entrega resultados de um dia para o outro e sem parceiros, é nesse ambiente de muita positividade e inúmeros desafios pela frente que a IDH convida seus parceiros e futuros parceiros a comungar uma visão em comum para o desenvolvimento sustentável da agricultura e pecuária brasileiras, tendo valores éticos e confiança mútua como base para as grandes conquistas. 

 

Sorry

Your browser is too old to optimally experience this website. Upgrade your browser to improve your experience.